Aqui vale quase tudo

Não me sinto segura…

29 de Outubro de 2009
Deixe um Comentário

Aqui há uns anos, assaltaram a casa da minha Mãe por volta do meio dia. Felizmente ela não estava em casa e foi só prejuízo material e danos psicológicos pois saber que dentro da nossa casa andaram estranhos a remexer, não nos dá nenhuma sensação de conforto.

O ladrão foi apanhado, levado a tribunal, não foi condenado e ainda chegou mais depressa á localidade onde vivo do que a minha Mãe. Dos objectos roubados nem um apareceu. Devem ter sido vendidos ao desbarato para aquisição de droga.

Mais recentemente foi assaltado o meu local de trabalho. Não dei conta de nada pois foi tudo muito rápido. Não houve agressões físicas, apenas ficou o trauma de invadirem o nosso espaço. Nessa altura ainda pensei em adquirir uma arma. Mas ter posse de arma não é um assunto brejeiro, pode tornar a nossa vida ainda mais complicada pois poderemos fazer algo de que teremos de pagar para o resto da vida, mesmo sendo em legítima defesa. Acabei por não comprar.

Esta semana já foram efectuados nesta ex santa terrinha 3 assaltos: a uma residência, a uma ourivesaria e a uma senhora que andava na sua vida do dia a dia.

O ourives e a esposa estão no hospital pois foram agredidos violentamente. Esse senhor já é a terceira vez que vê a sua loja assaltada e já é a terceira tareia que leva. Desta vez foi extensível á esposa que estava com ele na loja.

Hoje de manhã uns emigrantes, penso que ucranianos, armaram uma valente briga ao pé de um café perto de minha casa. Veio a GNR e foi agredida. Acabou por vir a polícia de Intervenção. Já nem as autoridades são respeitadas……

Que é feito do tempo em que eu ia para a escola primária sozinha  sem ter medo de me acontecer algo que não fosse uma queda nas brincadeiras que fazia pelo caminho??

O que é feito do tempo em que as pessoas no verão podiam dormir á vontade com as janelas abertas?

Em que altura em que se começou a desrespeitar tão impunemente a liberdade de cada um?

Agora quando sinto passos atrás de mim começo a pensar se será alguém seguindo o seu caminho, tal como eu, ou alguém que vem com más intenções. Ainda não estou neurótica, ainda consigo andar sozinha, mas sinceramente NÃO ME SINTO SEGURA…….

Anúncios

Publicado em Sem categoria

Parar para pensar e questionar, ou nem por isso??

28 de Outubro de 2009
Deixe um Comentário

Todos dizemos, que isto não está bem, que o dinheiro nunca chega, que não há médicos, a educação está um caos, que a fruta já não é aquilo que era, que estamos invadidos de loja de produtos chineses, que os ladrões nem chegam a aquecer lugar nas prisões  ( quando chegam lá a entrar), que os rios não têm água ou que estão poluídos, que as praias têm menos areia, que a gasolina não desce apesar do preço do petróleo descer, que não é seguro andar na rua e nem sequer estar sossegado em casa, que a polícia não nos defende só nos sabe é multar, etc etc etc ……

Pois é…….. tanta coisa que nos incomoda não é??

Reclamar e queixarmo-nos sabemos nós fazer.

Pois eu deixo um desafio: e que tal parar para pensar realmente nas coisas e questionarmo-nos o porquê de tudo isto estar a acontecer.

Ainda acredito que alguém pare para pensar……. mas muito poucos, pois dá trabalho…

Dá trabalho e é muito cansativo a pessoa pensar e questionar. Tem de estar informada, tem de pensar no que poderia fazer para algo mudar, tem de ter “trabalho” e de trabalho já estamos fartos e cheios, não é?? Esperemos que seja o vizinho a fazer algo…. ele até anda menos cansado do que nós…….

Pois é……. e assim se vão passando os dias, meses e anos.

Somos reclamantes, mas passivos e assim só poderemos continuar a reclamar e muitas vezes mal. Nunca vamos mudar nada a não ser o objecto das nossas queixas.

Parem para pensar e questionar…….. não deixem que façam isso por vós, porque se o deixarem então depois não podem reclamar porque não fizeram nem pretendem fazer nada para a situação se alterar.

Façam um favor a vós mesmo Pensem e Questionem. Pode ser que assim até descubram novas formas de reclamar……

 

 

 

28.10.2009


Publicado em Sem categoria

O estado em que nós vivemos

28 de Outubro de 2009
Deixe um Comentário

Mais um novo governo tomou posse. Umas caras novas, outras lavadas, mas o essencial claro que fica na mesma.

O País está doente com todos os males possíveis e imaginários.

Compadrios, luvas, influências de organizações “secretas”, egoísmo pessoal, egoísmo partidário, egoísmo patronal…… Enfim todos a olharem para o seu umbigo e para a sua conta bancária.

E nós os que trabalhamos e que passamos o mês inteiro a pagar?? Já estamos cansados de pagar e de não ver nada de efectivamente válido feito. Estamos cansados de fazer tanta conta e com sorte acabar por chegar até ao próximo ordenado. E os outros?? Aqueles que por mais contas que façam nunca chega a não ser para uma barrigada de fome, casas sem condições ou alguns sem terem casa sequer. Alguns deles que trabalharam uma vida inteira e agora recebem uma reforma de miséria.

Mas existem outros…….. que ao abrigo de decretos e leis…… obtém o rendimento mínimo sem nunca nada terem produzido para o País. Quantos imigrantes se limitam a engravidar as mulheres para o rendimento ser maior??

E nós a vermos, nós a trabalharmos e eles o dia inteiro a roçarem-se pelas esquinas e a passearem as “alegres criancinhas”.

Não posso ser injusta…. alguns até trabalham, mas acabam por serem explorados, os patrões não descontam sobre o rendimento deles e o País fica mais pobre e os patrões mais ricos. Também existem excepções, mas infelizmente são muito poucas.

Temos de ser justos, correctos e “ cooperantes” para com os estrangeiros que vêm até ao nosso País, pois muitos dos nossos antepassados também foram emigrantes. Até aqui tudo bem, mas…….. quando alguns começam a ser melhor tratados do que os próprios Portugueses, algo não está mesmo nada bem.

Este País tem de mudar. Temos de tomar medidas que não vão estar a contento de muita gente, principalmente dos detentores do poder. Mas para isso temos de ser todos ou quase todos a querer essa mudança. Temos de sair das nossas zonas de conforto para que algo seja feito e urgentemente.

Devíamos poder escolher pessoas e não partidos políticos. Porque infelizmente aqueles que efectivamente poderiam conseguir fazer algo para a situação mudar, os efectivamente competentes, não estão interessados em ser conotados com o partido A ou B.

Para essa mudança, muitos defendem que é urgente a Monarquia. Eu só defendo que é preciso alguém que Ame este País acima de tudo. Se esse alguém for o Rei, então venha Ele e o mais depressa possível. Contará então com o meu apoio incondicional.

Viva Portugal. Viva quem o possa Amar.!!!!!!!!!!


Publicado em Sem categoria

Pensamentos emergentes

28 de Outubro de 2009
Deixe um Comentário

Caro José Andrade

 

Estive a ler a sua Tese do Referendo e uma Proposta de Estratégia e surgiram-me alguns pensamentos : Portugal neste momento não é um Reino, é um País dividido, com demasiadas carências e sem conhecimento do seu passado Histórico.

Se Portugal fosse um Reino, concordo que o Rei seria o seu símbolo vivo. Porém acerca deste nosso Rei, entristece-me ele ser tão “sossegado”. Não o sinto com vontade de ser Rei, não sei se por feitio, se pelas actuais circunstancias em que o nosso Portugal se encontra. Estou convencida de que Ele tem muita gente que acredita nele e o gostaria de ver como nosso Rei, efectivamente. Vejo o Movimento Monárquico a tomar uma força que nunca tinha sentido. Vejo as águas a agitarem-se e algumas pessoas a tomarem iniciativas pontuais para que nos lembremos que a Monarquia existe, pois ela está dentro de todos os que a sentem e se dizem Monárquicos.

A República está gasta e cheia de buracos. É hora de aproveitar a sua debilidade para se mudar definitivamente o curso das “coisas”. Não me perguntem como o fazer… Hastear bandeiras só por si não chega, embora já seja algo. A Republica deverá cair por si mesma e os Monárquicos podem ajudar a essa queda…. Organizando-se, mostrando-se ás pessoas, dizendo que existem, estão aqui e que com eles o país definitivamente sairá deste marasmo, relembrando toda a história do nosso Portugal desde 1143.

Muitas vezes já me lembrei que era interessante que neste 5 de Outubro, Portugal acordasse engalanado com bandeiras Monárquicas. Sei que é quase como um sonho, mas era uma demonstração de que os Monárquicos estão fartos da Republica ( e só se passaram 100 anos…). Quantos mais serão necessários para mudar??

Referendo, golpe de estado, movimentação “popular” não sei o que fará com que isto mude. Só sei que a Republica está á beira do abismo e tem de ser empurrada para a frente…….

Cumprimentos

Ana Vinagre

 


Publicado em Sem categoria

Mais um dia, nesta vida que não faço a mínima ideia de quantos virá a ter.

28 de Outubro de 2009
Deixe um Comentário

Esta noite sonhei que não me deixavam beber café. Havia sempre alguém que se atravessava na minha frente. Zangada até falei alto enquanto sonhava.

Parece uma coisa bem estúpida, porém, quantas não são as vezes que alguém sempre quer ir á nossa frente, tirando a nossa vez, não sei se sem querer, se por pressa ou mesmo só por falta de educação.

Desde quando ficámos tão mal educados?? Desde quando ficámos sem tempo ?

Onde é que isto tudo irá parar ?

Homens, mulheres, crianças e adolescentes quase todos perderam a noção do que é recto, pensando simplesmente no que eles querem e precisam.

Dizem que isto é consequência de termos liberdade, porém não consigo concordar com isso. A tua liberdade acaba onde começa a liberdade do outro.

Os Pais deixaram de ter tempo para educar os filhos, andam irritados com a falta de tempo, dinheiro, saúde e outras coisas mais.

Cada geração que “ aparece” parece mais revoltada do que a anterior.

Os Pais não brincam com os filhos, os filhos não falam com os Pais, deixaram de brincar descansados na rua, agarram-se aos computadores, ás consolas, aos amigos virtuais.

Tenho saudades da minha infância, da minha adolescência. A minha geração teve um crescimento bem mais alegre e saudável e olhem que não sou assim tão velha, afinal ainda só vou fazer 45 anos………

Vou continuar a sonhar e os sonhos podem vir a fazer a mudança.

Vivam os sonhos felizes, os sonhos tristes, porque enquanto formos sonhando……. estamos concerteza vivos.

Até uma breve oportunidade……

12-07-2009

 

 


Publicado em Sem categoria

Esta noite sonhei que estava grávida.

28 de Outubro de 2009
1 Comentário

Pois de que outra maneira é que eu podia ver ao espelho, duas mãos bem pequeninas a empurrarem a minha barriga e conseguir contar os dedinhos todos das mãos??

Não tenho filhos. Não é por opção mas simplesmente penso que não estás nos planos do Ser superior que gere tudo isto.

Estive grávida ainda por cinco meses, mas o rapazinho tinha trissomia 18 e tive de interromper a gravidez. Foram 3 dias horríveis no hospital. Acredito sinceramente que só quem passe pela mesma situação me consiga entender.

Ao fim ao cabo, acabei por ter um parto mas de um bébé que já nasceu sem respirar. Não o quis ver, não adiantava nada e seria mais uma imagem a perseguir-me para o resto da vida. Devia pesar umas 500 g……e chamava-se Filipe Miguel.

Adoro crianças e até me entendo bem com elas.

Pergunto-me tantas vezes porque é que mulheres que não querem ter filhos, engravidam e outras que desejam ser mães acima de todas as coisas não o conseguem.

Não há uma resposta mais ou menos correcta pois cada caso é um caso.

Consigo entender a ânsia de quem não consegue, não consigo é perceber o desespero de quem aborta, abandona ou dá para adopção. De certeza que terão os seus motivos, uns certamente mais válidos do que outros.

Adoptar poderia ser uma solução. Tenho visto casos onde tem resultado bem, mas também vejo outros em que os pais adoptivos têm de “ devolver” a criança á Instituição onde a foram buscar. Há razões bem estranhas para as crianças serem devolvidas e algumas chegam a ser caricatas, mas também quando a criança a quem se dá tanto amor se volta contra os Pais e os agride pelo silêncio,  ignora a presença deles e até agride fisicamente faz-me pensar se tanta revolta existente nessas crianças algum dia as vai deixar se felizes.

Elas não têm culpa, mas quem as quer adoptar também não. Como será o futuro dessas crianças??

Nos casos em que tudo corre bem, creio que não seja tudo rosas, mas numa familia “normal” também não o é.

Bem haja quem tem a coragem de partir para uma adopção.Eu não sei se seria capaz…………. 

16-07-2009

 


Publicado em Sem categoria

    Iniciando….

    Tal como o nome sugere, vou tentar escrever o melhor que consiga acerca do que achar pertinente, incómodo, romântico, misterioso, fútil, verdadeiro e outros adjectivos mais. Resumindo: vou escrever acerca do que me apetecer, comunicar por este meio o que me vai na cabeça, coração e quem sabe de que mais órgãos. Comentem, partilhem pensamentos, sintam-se livres, não esquecendo sempre que a liberdade de cada um termina onde começa a do outro. O blog é meu para quase todos............. Sintam-se em vossa casa. Passem um bom bocado. Ana Vinagre
    Outubro 2009
    S T Q Q S S D
        Dez »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  

    Blog Stats

    • 1,239 hits